domingo, 29 de novembro de 2009

Aventuras de Buscapé, por Fernandes Dallanora

Titulo do livro: aventuras de Buscapé

Autor do livro: Giselda Laporta Nicolelis

Editora: moderna LTDA

Edição: 6

Buscapé era um cãozinho que foi morar na casa de um taxista onde tinha sua mulher e mais três filhos, logo se acostumou com o lugar que se chamava vila dos sonhos. Todos os anos vinham um circos naquela cidade e todos ficavam alegre quando viam o grã circo mexicano chegar pois faziam moitas palhaçadas e competições, o dono do circo começou a fazer propaganda de seu cão Ralph ele era um cão de raça e quem quisesse competir com ele, era para se escrever no circo, até o padre Alarico ajudou juntar mais cães para competição, os filhos do taxista escreveram Buscapé e um gato chamado caréquinha era o gato de dona Catarina na competição do circo.

Chegou o grande dia e o Ralph o cachorro famoso fez alguma travessura mas ninguém do circo gostou outros cachorro também se apresentaram mas quem teve mais aplausos e foram mais engrazados foi Buscapé e caréquinha todos familiares ficaram contente com o resultados e foram pra casa. No outro dia Buscapé e caréquinha não estavam mais lá ficaram todos apavorados achando que o dono do circo tinha levado eles embora e juntaram muitas pessoas para ajuda procurar e ai o padre Alarico lembrou do dono da farmácia que estava fazendo pesquisa sobre cão e gatos, ele e mais alguns garotos evadiram a casa do farmacêutico chegando no porão encontraram muito gatos e cachorro presos e faminto o farmacêutica não estava lá mas Buscapé e caréquinha foram encontrados naquele estante quando eles estavam tratando os bicho nisso apareceu o farmacêutico todo assustado que havia sido assaltado e daí todos eles foram parar na delegacia e o delegado não prendeu o farmacêutico por ter tanto gatos e cachorros e a família retirou a queixa de que havia sumido o seu cão e tudo acabou bem entre o gato caréquinha e o cachorro Buscapé e foram todos felizes para casa.

CRITICA DO LIVRO:

Eu recomendo que leia esse livro porque traz muito conhecimento de como a vida é boa e mal, e é um bom livro, pois é muito interessante para quem quiser ler livros de aventura como esta que eu escrevi.

A escrava Isaura, por Suelen Beledelli

A escrava Isaura

Editora : Martin Claret

Isaura, escrava branca e bem-educada, é assediada pelo senhor, Leôncio, recém-casado com Malvina. Isaura se recusa a ceder aos apelos de Leôncio, como já fizera no passado, sua mãe, que, por ter repelido o pai de Leôncio, fora submetida a um tratamento tão cruel que, em pouco tempo, morrera.
Para forçá-la a ceder, Leôncio manda Isaura para a senzala, trabalhar com as outras escravas. Sempre resignada, suporta passivamente o seu destino. No entanto, seu pai, ex-feitor da fazendo, consegue tirá-la de lá e foge com ela para Recife. Em Recife, Isaura usa o nome de Elvira e vive numa pequena casa com seu pai. Então, conhece Álvaro, por quem se apaixona e é correspondida.
Vai a um baile com ele, onde é desmascarada e reconhecida. Álvaro, ainda que surpreso, não se importa com o fato de ela ser uma escrava e resolve impedir que Leôncio leve ela de volta pra a fazenda, inclusive tentando comprá-la, mas não consegue convencer ele, e ele leva Isaura de volta para o cativeiro na fazenda.

Leôncio este falido e, com o objetivo de conseguir um empréstimo do pai de Malvina, consegue se reconciliar com a mulher, afirmando que Isaura é quem o assediava. Então, para punir Isaura, Leôncio manda que ela se case com Belchior, jardineiro da fazenda. Entretanto, Álvaro descobre a falência de Leôncio e compra a dívida dos seus credores, tornando-se proprietário de todos os seus bens, inclusive de seus escravos. No dia do casamento de Isaura, antes que se celebrasse a cerimônia, Álvaro aparece e reclama seus direitos a Leôncio. Vendo-se derrotado e na miséria, Leôncio suicida-se. Tudo termina, portanto, com a punição dos culpados e o triunfo dos justos.

Critica: Eu achei o livro muito bom ele mostra como era a vida das escravas e também ele é um romance muito bonito que depois que tudo que ela passou ela pode ser feliz.

Eu recomendo sim esse livro porque ele te faz começar a ler e não parar mais Le é muito interessante.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Os meninos da rua da praia, autor: Sérgio Caparelli, por: Vanieli Tais de Vargas

Título: Os Meninos da rua da praia

Autor: Sérgio Caparelli

Edição e editora: 1987 L&PM Editores S/A

Síntese: Era bonita a tartaruguinha que estava com um homem para ser vendida, era de um verde muito bonito.

Certo dia essa tartaruguinha fugiu de seu dono. A cidade era grande e ela ficou assustada com todo aquele movimento dos carros das pessoas. Até que de tanto andar encontrou três meninos, muito pobres que vendiam jornais, eles ficaram felizes por encontrar a tartaruguinha, e um deles a levou para casa.

Quando chegou em casa seu pai ficou muito feliz com o que via ele adorava animais, a colocaram então em um balde cheio de água.

Sempre que o menino ia vender jornais com seu amigos a levava junto. E ela ia feliz. Até q um tempo se passou e a tartaruguinha não queria mais comer, e ficava escondida em seu casco, então os meninos decidiram levá-la num veterinário e assim o fizeram. O veterinário disse que ela estava assim porque sentia falta de onde nasceu. Então os meninos decidiram levá-la até um rio que tinha ali perto e assim foram eles, no caminho um dos meninos estava triste, mas mesmo assim pensou que era o melhor para a tartaruguinha. A largaram no rio então e ela foi embora toda feliz. Os meninos começaram a rir e a chorar ao mesmo tempo.

Crítica do livro: Eu achei o livro interessante apesar de ele ser destinado a crianças é um livro bom de ler. Na minha opinião eu percebi com esse livro que mesmo que quisermos não podemos prender as pessoas junto da gente, temos que deixá-las tomar decisões próprias.

Vanieli Tais de Vargas

Nº:33

Turma: 82


quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Corrida infernal, por Marina Piazetta

TÍTULO:Corrida Infernal

AUTOR:Marcos Rey

EDITORA:Editora Ática

Esse livro conta a história de uma valiosa jóia que valia milhões e foi roubada da joalheria.

Os bandidos esconderam essa jóia dentro de uma boneca que acabou ido parar nas mãos de Lena, pois dentro do ônibus os bandidos encontraram a polícia e para que não suspeitassem deram a boneca a Lena.

Mas concerteza os bandidos iriam á procura de Lena para pegar de volta a boneca, e conseguiram facilmente achar ela, só que Lena deu essa boneca de presente para uma menina pobre que ela conhecia.

Quando os bandidos chegaram Lena contou a eles que não estava mais com a boneca.Eles muito furiosos fizeram ela contar onde morava essa menina.

Afinal a boneca passou por muitas mãos sem ninguém sequer imaginar o que estava escondido dentro dela.A polícia também foi atrás e depois de muita aventura e suspense eles conseguiram prender os bandidos e recuperar a tão valiosa jóia.Lena ainda foi recompensada por ajudar os policiais a pegar os assaltantes.Assim Lena ganhou um bom dinheiro e ficar feliz em sua casa junto com sua gatinha e sua avó que ela amava tanto.

CRÍTICA DO LIVRO:

Eu achei um livro ótimo, pois foi muito bem escrito e é uma aventura muito legal de ler.Eu recomendo a meus colegas que leiam esse livro.

Saga animal, por Aline Campeol

TÍTULO:Saga Animal

AUTOR(a):Bruno Galan

EDIÇÃO:Primeira Edição

EDITORA:Editora Hedra

Conta a história de um menino que queria ter um animal de estimção, mas só que os pais proibiram, porém Igor determinado a conseguir um bicho por conta própria.

Igor trouxe um cachorro para dentro da casa e escondeu em seu quarto, mas a alegria durou muito pouco, a mãe dele descobriu.No entanto o menino Igor não desistiu se envolveu com vários bichos mas nenhum deu certo, até que ele começou uma criação de escargots, achava que assim ele teria uma relação comercial com os animais, doce ilusão a brincadeira foi longe demais, ele tinha sob controle, bichos que dependiam dele.

Então Igor começou a fazer um protesto que se ele não tivesse um animal de estimação todos os bichos deveriam ser soltos e viveriam livres, mas a avó dele viu como ele queria muito um animal de estimação, resolveu dar um bicho para ele, um cachorro que ele tinha gostado muito, assim a mãe dele não podia reclamar pois tinha sido a avó dele que tinha dado o cão.

CRÍTICA DO LIVRO:

Achei muito bem escrito o livro com situações insólitas, difíceis e engraçadíssimas.Recomendo aos meus colegas, pois achei muito interessante e legal o livro.


terça-feira, 24 de novembro de 2009

O Cortiço - Aluísio Azevedo, por Gabriel Vanzo Rodrigues

Título: O Cortiço
Autor: Aluisio Azevedo
Editora: Martin Claret
Assunto: Literatura Brasileira
Edição: 1
Lançamento: 1980
Síntese:
O romance não se concentra em um personagem apenas, mas no início, a ação está mais ou menos centrada no português João Romão, ganancioso e avarento comerciante que consegue enganar uma escrava trabalhadeira chamada Bertoleza (Aluísio várias vezes menciona o conceito racista de que Bertoleza era submissiva e trabalhadeira por ser negra), conseguindo assim, uma empregada que trabalhava de graça. João Romão privava-se de todo o luxo, e só gastava dinheiro em coisas que faziam-no ganhar mais dinheiro. Foi assim que ele começou a comprar terreno e construiu o Cortiço.
Miranda, vizinho rico de Romão, e também português, que vivia no luxo, começa a questionar o modo que conseguiu a riqueza, (se casou com uma mulher rica, Estela, e eles se odeiam mutuamente) e a invejar João Romão, enriquecendo por conta própria. João Romão, que continua enriquecendo, constrói uma pedreira, e contrata o português Jerônimo para supervisionar os trabalhadores.
O que se segue é a transformação de Jerônimo, de um português forte, trabalhador e honesto em um brasileiro malandro e preguiçoso, (seguindo os preceitos naturalistas de que o meio determina o homem) graças à sua atração por Rita Baiana, uma mulata que morava no cortiço. Jerônimo briga com Firmo, namorado de Baiana, é esfaqueado e vai para o hospital. Após sair de lá, embosca Firmo com a ajuda de dois amigos e o mata a pauladas, jogando seu cadáver no mar.
Enquanto isso, João Romão começa a invejar Miranda, que acaba de conseguir um título de nobreza. E, quando o cortiço é destruído por um incêndio, ele o reconstrói, mas desta vez, para a classe média, ao invés da ralé que morava lá antes. Depois, ele começa a comprar coisas caras e se interessa em se casar com a filha de Miranda, para se tornar nobre também. Mas há um problema: Bertoleza.
João Romão arma um plano para se livrar de Bertoleza. Ele avisa ao dono dela (pois ele havia forjado uma carta falsa de alforria) de seu paradeiro, esperando que ele a pegasse de volta. Mas, quando o dono dela vem buscá-la, ela se mata, abrindo a barriga com a mesma faca com que cortava peixe.
Logo após, João recebe um diploma de sócio benemérito de uma comissão de abolicionistas.
O livro além de transformar o homem em um animal (em um processo conhecido por zoomorfismo), personifica o cortiço, que vai nascer (tendo, simbolicamente, como pai João Romão), crescer, espalhar-se (reproduzir-se) e morrer. Os personagens vão ser tratados como uma conseqüência do protagonista, não são causa, são efeito do cortiço, que vai determinar seu comportamento.
Todo personagem que conviver com pessoas consideradas de baixo nível, irão desvirtuar-se, como Pombinha, por exemplo. Era loura, íntegra, moça de boa família. Foi rica até ser órfã de pai, que se suicidou ao falir, deixando-a pobre com sua mãe. Foi descrita como a flor do cortiço. Mas Pombinha convive em um lugar com pessoas humildes, que irão desvirtuá-la. Pombinha conhece Léonie, uma prostituta que irá se relacionar a ela, surgindo o lesbianismo.
Jerônimo era um rapaz trabalhador, honesto, vivia para a mulher, que também vivia para ele, ambos tinham se mudado de Portugal em busca de melhores condições no Brasil. Amavam-se profundamente. Jerônimo vai trabalhar numa pedreira e se hospeda com sua mulher, Piedade, no cortiço, lá conhece Rita Baiana, uma brasileira festeira, bonita e sensual (comparada, pelo autor, a uma cadela no cio, pela sua sensualidade; quando dançava ou caminhava todos os homens se sentiam atraídos por ela). Por causa de Rita, Jerônimo passa a beber, tomar café e reclamar do trabalho, segundo o autor, características dos cabras (brasileiros), isso mostra uma característica forte do Naturalismo, o determinismo, como o homem é produto do meio. Se apaixona pela baiana e, após algum tempo, faz-se um relacionamento extraconjugal. Jerônimo abandona a mulher e vai viver com Rita. Piedade, abandonada, começa a beber. Piedade, em tristeza, relaciona-se com Pombinha, retomando aí o lesbianismo.

Crítica da obra:
O romance narra, em sua linguagem vigorosa, a vida miserável dos moradores de duas habitações coletivas. Trata-se de uma obra realista-naturalista cujo personagem principal é o próprio cortiço. Retrata seus moradores com as suas dores, os preconceitos sociais, a luta das classes, a exploração dos mais fracos. Aluísio de Azevedo foi impiedoso crítico da sociedade brasileira e de suas instituições. O livro é muito bom, muito proveitoso, mas um tanto complicado. Podemos tirar uma grande lição desta obra. Recomendo esse livro para pessoas que gostam muito de ler. Por ser um romance de literatura brasileira, podemos enriquecer muito o nosso vocabulário com esse livro. Aluisio Azevedo deixa explicita a animalização do ser humano, movido pelo instinto e pelo desejo sexual e fala muito sobre o proletariado, evidenciando a desigualdade social vivenciada pelo Brasil, juntamente com a ambição do capitalismo selvagem.

Um mostro no espelho - Alan P. Rice, por Évilyn Piva Lobo.

- Um mostro no espelho - Alan P. Rice.

- Editora: Maria A. Mendeiros.

- Síntese: Um garoto chamado Caleb Stepherson se mudou para Mosterville, a mãe dele é escritora de livros de terror, e ela acho que morrar naquela cidade a inspiraria. Caleb como era novo não conheçia ninguém só um amigo chamado Ron Ritchie.
Enquanto eles estavam indo para casa depois da aula conversavam:
- E o seu pai?
- Meu pai e minha mãe já estão separadas há muitos anos, ele está viajando, por isso estou nessa cidade chata.
- Ela nem é tão chata assim, as pessoas são simpáticas e tem até um sorveteria legal.
- A única coisa boa que achei boa nessa cidade foi a Melinda Lanzarot.
- Esta é minha casa. Até amanhã, Caleb.
Caleb chego em sua casa e foi avisar sua mãe quando passou por um espelho parece que viu uma pessoa fazer sinais mas nem deu muito valor a isso:
- Oi mãe.
- Oi Caleb, vou terminar esse capítulo e vou fazer o jantar, enquanto isso faça o dever.
Caleb ficou pensando no espelho nem se concentrou direito ao dever, foi passar ao espelho e apareceu uma menina muito parecida com Melinda. A menina do espelho disse que cem em cem anos vem um mostro para devorar suas descendentes, e hoje as onze e meia iria ser Melinda. Para combater o espelho disse que o monstro teria que se ver no seu reflexo no espelho. Ele disse que iria dormir, e pulou a janela, foi na casa de Melinda ela estava num aniversário ele foi atrás, a aniversariante foi grossa e não deixou ele entrar. Quando viu o mostro estava atrás dele, ele apontou o espelho mas o mostro derrubou ele e o espelho, e foi em direção a Melinda, todos os convidados ficaram correndo pra lá e para cá. Caleb se levantou e mandou Melinda ver se tinha um espelho na sua bolsa, ela achou um espelho e o mostro viu seu reflexo. Melinda deu um beijo na bochecha, e disse que gostava dos livros que sua mãe escrevia.
No outro dia Caleb levou uns livro na aula para Melinda e ela deu outro beijo todos acharam que eles estavam namorando.

- Crítica do livro:
Gostei do livro pois gosto de livros que tenham um pouco de terror, misturado com romance. Achei o livro de fácil compreensão das palavras.

Go, por Luana de Oliveira




TÍTULO DO LIVRO:Go

AUTOR:Nick Farewell

EDITORA:Via Lettera

Conta a história de um garoto cujo sonho era escrever um livro que falasse do que ele mais gostasse que era Mulheres.Mas ele não sabia o que contar neste livro, mas teve a idéia de criar uma personagem que fosse uma mulher solteira, com mais de 20 anos e que fosse Russa.Deu até um nome para a tal moça Kubikova.

Começou a escrever umas trinta páginas do livro só que suas idéias foram sumindo e ele não sabia mais o que inventar.Resolveu consultar seu amigo Charles que era super esquisito, morava em um barraco e vivia drogado, para que lhe desse umas idéias sobre o tal livro.

Charles muito esquisito acabou levando o amigo para um clube de garotas de programa para quem sabe assim ele tivesse mais idéias.Só que o garoto acabou conhecendo e se apaixonando por uma garota de programa e ela também se apaixonou por ele.

Assim a mulher desistiu de fazer programas e começou a namorar com ele.Aí então surgiu a tão esperada inspiração para que o garoto pudesse terminar de escrever o livro.

CRÍTICA DO LIVRO

Achei o livro bem interessante, porém achei que o autor devia ter dado um nome para o garoto principal, pois sem nome ele ficou estranho.Mas mesmo assim recomendo a leitura desta história.

Praça das Dores, por Patricia Sbeghen

A Praça das Dores

José Louzeiro

4º Edição

Patrícia Sbeghen

O livro conta que inúmeras crianças não tenham teto e os pais os abandonam, por isso moram na rua, lá passam fome, frio, sede, solidão, tristeza, enfim...

Praça das Dores conta uma história chocante, que meninos de rua dormem agrupados em oito, moravam em baixo de um viaduto cobridos por jornais. Após uma semana aconteceu um roubo ali pertinho, veio polícia, houve tiroteios, passou-se alguns dias Anjo foi passear pelas ruas e pisou em cima de um envelope, ele agachou-se e o levou.

Ao abrir eram muitos dólares que uma milionária havia deixado cair, ele procurou-a e devolveu o dinheiro á ela, a moça deu á ele a metade da grana. Seus pais que haviam o abandonado começaram a se preocupar mais com ele, por causa do dinheiro, Anjo pegou o dinheiro e fez uma doação para mendigos e seus pais não valorizaram mais ele.

Seu sonho era ir para São Paulo, mas não tinha condições, embarcou em um caminhão de transportes distribuidor de grandes empresas, lá vagou pela cidade, um homem adotou-o e foi ali que passou a viver a vida tranqüila.

Crítica:

Eu acho que neste Mundo tem muitas crianças abandonadas por causa da falta de responsabilidade uns aos outros, á muito individualismo entre cidadãos, o nosso país tem e deve se conscientizar com isso e inúmeros outros problemas que desafiam a nossa mente humana, a cada ano que passa á mais dificuldades para viver tranqüilo e de bem com a vida.

O olho de vidro do meu avô, por Thais Sbeghen

O olho de vidro do meu avô

Bartolomeu Campos de Queirós

Thais Sbeghen

Síntese:

Era de vidro o olho esquerdo de meu avô, era azul-claro e parecia envernizado por uma eterna noite, ele via a vida pela metade e tudo se resumia em um meio-Mundo, o olho esquerdo dele de vidro que via nada era apenas uma leve e profunda imaginação, o velinho visitava lugares que não existia que não alcançava, mas para ele não passava de uma grande e divertida brincadeira imaginária, e seu netinho sempre tentava adivinhar o que seu avô tanto escondia naquele olho de vidro.

O seu olho esquerdo era de mentira e o olho direito era de verdade, o seu neto sempre carregava dentro dele um desejo escuro, a vontade de saber se o seu avô retirava seu olho na hora de dormir, mas ele não retirava de jeito algum, mas seu neto sempre quis ter um olho de vidro igual o de seu avô.

Várias vezes seu neto desejou ver seu avô chorando, queria saber se o olho continha lágrimas, mas ele não chorava, motivo tinha, de não ver o Mundo inteiro isso traz tristeza. O tempo passou seu avô não deixou herança alguma a não ser sua história.

Crítica:

Ao ler o livro até eu tentava imaginar como era se eu tivesse um olho de vidro, você tenta imaginar o que você está lendo de qualquer maneira, o livro expressa sentimentos que mexe com a mente do ser humano, o livro é muito bom, gostei muito mesmo de ter lido pela primeira vez não me arrependo, porque aprendi mais do que eu já sabia, ele tenta passar para o ser humano a pura realidade das coisas, enfim várias coisas seriam interessantes se nós parávamos para pensar, e chegar a tal conclusão de vários assuntos que ao final nos preocupa muito, que desafiam e continuarão desafiando a mente de qualquer ser humano. O livro traz curiosidade? Traz muita. Mas o que o chama a atenção mesmo é à força da imaginação que ele teve e a que os leitores tentaram tela também. Ele traz muita curiosidade no qual os que leiam tentam desvendar o mistério do olho de vidro, é super legal...

1º Edição – Editora Moderna.

O perigo mora nas ruas, por Cassiano Zottis

Trabalho de Português

Ficha de leitura para o trimestre

Editora FTD Série Espelhos

O PERIGO MORA NAS RUAS

Rogério Andrade Barbosa

Dizem que no final do século XVIII viveu no Rio de Janeiro uma feiticeira doente que, na tentativa de aliviar seus males, se banhava em sangue de animais. A temida Bárbara dos Prazeres virou lenda. E, como toda lenda, sofreu distorções do imaginário popular.

Um século depois, Leonora, uma jovem mulher que dizia ter nascido em 1800, escolheu a cidade do Rio para viver, não contente com a própria imortalidade, desejava a eterna juventude. Sem escrúpulos sustentava sua vaidade com o sacrifício de vidas humanas. Além da miséria, do abandono e dos assassinos profissionais, os meninos de rua tinham de enfrentar um novo perigo: a eterna juventude de Leonora. E pelo que ela acreditava o banho com sangue de meninos negros era milagroso e lhe deixaria jovem para sempre. Seus planos eram sempre executados por seus fiéis seguidores, e protegidos por importantes pessoas da alta sociedade.

O livro O PERIGO MORA NAS RUAS é muito bom e interessante, pois desperta a curiosidade do leitor para saber o desenvolvimento da história e para saber como vai terminar, acreditando que os vilões sempre irão se dar mal. Eu recomendo este livro para quem se interage com a história, se imagina e se envolve com os personagens .

Cassiano Zottis

Turma 82

Nº 08

Soul Love - a noite o céu é perfeito, por Samanta Delabeta

Samanta Delabeta
Nº 31 T:82 - Ficha de leitura
Título: Soul Love- a noite o céu é perfeito Edição:
Autor: Lynda Waterhouse Editora: MELHORAMENTOS

O livro conta a história de uma adolescente que começa andar com más companhias e para livrá-la disso, sua mãe manda ela ir morar com a tia em uma cidadezinha. Todos os conflitos de uma adolescente comum ( brigas com a mãe, com o corpo, com os amigos, com a professora ) se tornam pequenos quando ela encontra Gabriel, seu verdadeiro amor. Ele mostra a Jenna a beleza de um céu noturno sem nuvens, escuro, um contraste perfeito para o brilho das estrelas. Mas Cléo, que é muito ligada a Gabe, não gosta nenhum pouco disso. Ela não queria que Gabe contasse seu grande segredo, que apenas eles dois sabiam. Gabe confiava muito em Jenna por isso resolveu abrir o jogo. Jenna entrou em choque ao saber que o menino que ela se apaixonou tinha AIDS.

A notícia não mudou nada o que sentiam um pelo outro. Juntos encontraram força, e superaram os mais difíceis obstáculos. A mãe de Jenna, a adolescente descobre que a filha é uma pessoa maravilhosa, apenas precisava de uma chance. Jenna ajudou a tia quando mais precisou, trabalhou com ela e fez a cidade inteira perceber que aparências enganam. Como o esperado, os dois terminam juntos, e Gabe fez todos os tratamentos. Em um festival de música, Gabe dedica a musica Because the Night a Jenna, e os dois se beijam.

Critica: Eu amei o livro. Terminei de ler muito rápido, é uma história que se identifica com qualquer adolescente. A situação de Jenna é dificil e é a mesma de muitas pessoas com familiares ou amigos com a doença. Por em risco a sua vida para ajudar a vida de outra pessoa é lindo, ainda mais quando é amor assim, de um casal que se apaixonou tão cedo, e não quiseram abrir mão um do outro ! ah, eu simplesmente AMEI ! Poderia virar filme.

beijo, beijo profe ;*

A princesa a espera, por Caroline Remor

Titulo - A princesa a espera
Autor - Meg Cabot
Este livro continua a historia de um filme "o diario da princesa", que conta a hitoria de uma adolescente que descobre que é na verdade um princesa.
Ela passa as ferias em Genovia se adaptando aos costumes de seu país e as obrigaçoes da realeza, mas um dia antes dela voltar para o seu país ela arruma um namorado, o pia que ela gosta desde criança que é também o irmao de sua melhor amiga.
Apesar dela estar cuidando de um país a mente dela vive na sua cidade natal ao lado do seu novo namorado.
Esta historia se passa em um diario que ela escreve, e vai de almoços e jantares de gala a poemas para Michael.
E depois de 32 dia longe de sua cidade ela volta e se encontra com sua familia, amigos e Michael.
Eu recomendo esse livros para todos que se interessaram pela historia.

A maldição da tumba da múmia, por Rafael Luiz Gerstner

Nome: Rafael Luiz Gerstner. Nº:33. Turma: 81.
Autor:R.L. Stine.
Título: A Maldição da Tumba da Múmia.
Editora : Editora Fundamento.
Síntese:

Gabe foi viajar com seus pais para o Egito investigar uma pirâmide.Durante seu passeio pelo Egito, Gabe se perdeu dentro de uma pirâmide.Sari, sua prima louca que o acompanhava nessa incrível exploração, simplesmente desapareceu.
Mas ele não está sozinho. Existe mais alguém na pirâmide.
Alguém ou alguma coisa. Gabe não acredita na maldição da tumba da múmia. Mas isso não significa que a maldição seja verdadeira.


Crítica: Gostei muito do livro e da série Goosebumps, o autor está de parabéns porque o livro é muito bom. Tem suspense e terror. Eu recomendo a todos.

As florestas do silêncio, por Rafael Luiz Gerstner

Nome: Rafael Luiz Gerstner. Nº: 33. Turma:82.
Título: As Florestas do Silêncio.
Autora: Emilly Rooda.
Editora: Editora Fundamento.
Síntese:

            Uma vez no reino de Deltora, haviam sete tribos, cada uma dessas tribos tinha ums pedra mágica, e elas viviam e harmonia.Mas, ameaçados pelo senhor das sombras essas tribos criaram um cinturão onde colocaram as pedras juntas para destruir o senhor das sombras. O tempo foi passando e, uma vez o reino estava descuidado e o senhor das sombras o atacou.
            Ele pegou as pedras e a espalhou nos lugares mais sombrios de Deltora e o cinturão foi salvo por um homem chamado Jared.
            Dezesseis anos se passaram, e Jared teve um filho chamado Lief, ele contou a história para Lief e entregou o cinturão para ele conseguir as sete pedras de Deltora, destruir o senhor das sombras e salvar o reino.
            Nessa jornada ele sai com seu amigo Barda para encontrar a primeira pedra de Deltora " O Topázio ", que está escondido nas Florestas do Silêncio.

Crítica: Eu gostei do livro, tem uma história muito boa e emocionante. Tem ação, aventura.Afinal, um pouco de tudo.
           Recomendo este livro a todos.       

Mistérios do coração, por Joane Coleone

Trabalho de Português

Nome: Joane Coleone

Série: 1º ano

Livro: Mistérios do coração

Autor: Roberto Shinyashiki

Editora: Gente

O livro nos convida para uma meditação em nossas vidas buscando o amor que queremos hoje, depois da libertação da mulher, pois sabemos que o homem necessita estar atuante, ou perceberá que a mulher e os filhos podem se organizar sem ele.

Precisamos avaliar nossos sentimentos, nossos medos, nossos bloqueios não resolvidos e lutar conosco esmo para conquistar o que queremos e sentir assim a nossa própria importância dentro da vida familiar.

Para amar e sentir-se amada devemos amar a nós mesmos e sentir que está feliz não é necessariamente estar com alguém, pois podemos ocupar nosso tempo para nós mesmos e quando iniciamos um relacionamento e ter a certeza que este que este relacionamento nos trás a paz que necessitamos para viver o amor, pois ele é lindo mas nos trás medos e só com o tempo superamos esse medo e nos conscientizamos do objetivo que queremos.

Através de nossos medos percebemos que o inferno não existe,nós é que o fazemos.

Como pessoas humanas têm o direito de vivenciar todos os sentimentos que um humano pode sentir como amar e odiar alguém. Isto porque o outro não é obrigado pensar da mesma maneira que pensamos, mas se por algum momento odiarmos alguém não é motivo de deixar de amar esse alguém.

Às vezes nos sentimos confusos diante de situações em nossas vidas por queremos viver situações deixadas no passado.

Devemos sempre viver e realizar o que no presente se apresenta para que no futuro pudermos nos sentir realizados e não querer realizar o que deixamos no passado e não podendo assim vivenciar as coisas boas que se apresentam deixando nossa vida assim confusa.

Quando vivenciamos o amor tudo se torna agradável, nossas tarefas são realizadas mais facilmente para vivermos o maior tempo possível com as pessoas amada.

O amor, a paixão nos faz feliz que chega um momento que sentimos medo de sermos abandonados ou substituídos por alguém apontando o outro como culpado quando a insegurança está em nós mesmos.

Quando amamos que temos um poder em relação ao outro. Poder esse que faz com que deixamos de viver a nossa própria vida para fazer as coisas que imaginamos que o outro goste não nos dando conta que isso pode atrapalhar a relação.

Porque amamos também sentimos ciúmes da pessoa amada deixando assim uma insegurança em relação ao outro, mas como não admitimos procuramos culpar o outro pelas nossas fraquezas pelos nossos problemas.

Tudo poderia ser resolvido se soubéssemos dialogar com a pessoa amada dando a ela também a oportunidade de expor seus sentimentos.

Como o ciúme nos torna talvez dependentes do outro seja um sina também que queremos o outro bem perto de nós.

Diante do amor de um pelo outro logo surge o casamento que não pode ser apenas um ritual com festas, igreja, convidados, mas sim um compromisso assumido a dois pensando sempre que aquele compromisso assumido perdure o maior tempo possível lutando para que isso realmente aconteça.

Sabendo que mesmo vivendo um amor, um casamento necessita de outras atividades como o trabalho que muitas vezes nos preocupamos mais com ele e não nos damos conta do que nos uniu: o amor que deve ser sempre cultivado junto com as demais atividades para que o relacionamento a dois seja completo.

Às vezes precisamos dispor de tempo para discutir nossos sentimentos com a pessoa amada e não adiar ou substituir por outras atividades tentando se convencer que tudo foi resolvido, pois isso faz com que os ressentimentos aumentem em relação à pessoa amada.

Nossa vida é uma constante mudança, portanto precisamos todos os dias manter um diálogo aberto e aceitar a pessoa amada que também está em constante mudanças, as vezes evoluindo e outra vezes trazendo experiências que vimos acontecer com nossos pais e avós e que nos deixam confusos dificultando o relacionamento a dois.

Por ser lindo o amor deve ser dado sem ter o medo de esperar a reação do outro. E também procurar amar e entender a pessoa amada nos seus momentos de dificuldade tornando-se apoio e não apenas e não contagiar-se com os problemas dela.

Amar é dizer sim mesmo ao desconhecido, pois as melhores coisas aconteçam de imprevisto em relação à pessoa amada.

Eu achei o livro interessante, pois ele nos mostra que o relacionamento entre duas pessoas pode ser de momentos de prazer e de momentos de dificuldades. Eu recomendo que todos leiam pois relata um assunto que todos nós vivemos.

Ficha de leitura - Cindia Sartori - A menina que roubava livros

Ficha de leitura

Titulo: A menina que roubava livros

Autor (a): Markus Zusak

Editora: intrínseca

Seus encontros com morte; os livros roubados; os relacionamentos travados no núcleo social em que foi compusoriamente inserida. Liesel Meminger teve seu primeiro encontro com a Morte, que a propósito, é quem narra a história, quando viajava com a mãe e o irmão caçula, Werner, e tendo como destino a casa dos pais adotivos. Werner morreu no caminho e, a viagem foi interrompida para o seu funeral. Nesta ocasião, a pequena Liesel se encontra com a Morte e com seu primeiro livro "roubado", o Manual do Coveiro, que é deixado cair na neve por um dos coveiros que seputara seu irmão. Vale dizer que na ocasião ela não sabia ler ainda e o livro significava, enquanto objeto, uma ligação com o seu primeiro encontro com a Morte. Após conhecer sua nova famíia e começar um relacionamento muito estreito com o bondoso Hans Hubberman (papai) e a pitoresca Rosa Hubberman (mamãe) Liesel continuava sem saber ler e tendo no Manual do Coveiro o objeto que a liga aos acontecimentos e sentimentos presentes na morte de Werner. Hans ao descobre que Liesel tinha um livro e que não sabia ler, começou a dar-lhe aulas, mesmo porque na escola ela passava pelo constrangimento de estar na classe dos "anões", como ela mesmo dizia; houveram progressos e mais dois livros, desta vez não "roubados", mas ganhos no natal, dados por Hans. Neste meio tempo surge uma personagem muito importante na nossa história, que acompanharia Liesel em seus "roubos" e eventuais aventuras, era Rudy Steiner – que se tornaria o grande amor de sua vida; bem, passemos agora para o segundo "roubo", que aconteceu de maneira oportunista. Toda a cidade de Molching fora convocada para assistir a fogueria que o III Reich acenderia naquele dia. Liesel estava lá, com seu uniforme da juventude Hitlerista; ouviu discursos acalorados e a apresentação dos objetos a serem queimados na fogueira, considerados subversivos. A fogueria foi acesa, celebrada e aos poucos deixada. Liesel continuou por lá com o pai por mais um tempo e quando começaram a limpar os restos da fogueira, Liesel viu escorregar dos destroços três objetos dentre eles um livro por título " O Dar de Ombros" que passou a fazer parte de sua coleção, agora de quatro livros. Os outros ivros que viria conseguir saíram todos da casa do prefeito, da biblioteca de sua esposa, e com a anuência, mesmo que velada, dela. Logo após a aquisição dos Dar de Ombros, vemos entrar mais uma personagem em cena que faria toda diferença na vida de Liesel, era o lutador; O lutador na verdade era um judeu cujo pai fora amigo de Hans; ele prometara, caso fosse necessário, ajudá-lo, como a sua família. E esse dia chegou; Max Vandenburg ficou dois longos anos habitando o porão da casa dos Hubberman; nesse período ele contribuiu com dois exemplares para a coleção de Liesel; foram escritos em um Mein Kampf que teve as paginas pintadas de branco; o primeiro livro foi o Vigiador, onde fazia referência a sua vida até então, culminando com o tempo em que Liesel passava velando-o em seu coma de três dias; o segundo foi a Sacudidora de Palavras onde ele mostra o poder das palavras; foi concebido a partir da história ocorrida durante um aviso de ataque aéreo. Todos se abrigaram no porão da casa 45 da rua Himmel que era considerado o mais seguro. Na ocasião os adultos estavam apreensivos e as crianças menores choravam. Foi então que a pedido de Hans a sacudidora de palavras começou a ler um de seus livros e fez com que as crianças se acalmassem e os adultos relaxassem. Esse ultimo livro foi escondido de Liesel a pedido de Max para que fosse entregue a ela só quando ela estivesse pronta. Antes da entrega houveram dois acontecimentos importantes:Hans ajudou um velho judeu que compunha a comitiva de desvalidos que seguiam para o campo de concentração de Dachau; percebeu tarde o problema que havia arrumado, pois ele mesmo tinha um judeu no porão e vai que os nazistas insistam em revistar sua casa em busca de algum material subversivo e, achem um judeu? Essa situação fez com que os Hubberman mandassem Max embora mesmo com muito pesar. Depois da ida de Max, o pedido de Hans para se fiiar ao partido nazista fora aceito e ele destacado para servir na ELS, divisão que limpava áreas atingidas por ataques aéreos. Hans serviu, mas depois de acidente voltou pra casa. O segundo encontro de Liesel com a Morte se deu logo após um bombardeio numa cidade. Rudy levou sua maleta de ferramentas que usava para facilitar um possível furto e que continha um item no mínimo inusitado, um ursinho de pelúcia. Ao chegarem ao local da fumaça encontraram nos destroços o piloto bem machucado; Rudy se aproximou, colocou o ursinho nos ombros do piloto e recebeu um obrigado, meio murmurado. O piloto morreria logo após. No terceiro encontro com a morte ela foi salva pelas palavras; enquanto a cidade dormia ela estava no porão escrevendo suas histórias e veio um bombardeio surpresa matando a todas as pessoas da rua Himmel, menos Liesel, que fora salva por estar no porão. Liesel só encontrou a Morte pra valer, já com uma idade bem avançada e bem longe dali, em Sydney.

Eu recomendo esse livros para todos que ficaram interessados nessa história.

Piores inimigas/Melhores amigas, por Cindia Sartori

Ficha de leitura

Titulo: Piores Inimigas / Melhores Amigas

Autor (a): Annie Bryant

Editora: Fundamento

 

O livro conta a historia de quatro garotas que se conhecem na escola. Charlotte é desastrada, gosta de livros e astronomia, o pai dela é escritor e gosta de morar onde suas historias acontecem, e agora finalmente se muda para Brooklin, onde ela nasceu e tem lembranças da mãe ja falecida. Avery é esportista, elétrica e nunca sabe a hora de parar de falar. Maeve só quer saber de cinema e garotos, o sonho dela é se tornar uma estrela de Hollywood. Katani adora moda, e está sempre com roupas lindas, que ela mesma faz. Será que quatro garotas totalmente diferentes que não vão com a cara uma da outra podem se tornar melhores amigas? Ou vão ser piores inimigas? A historia acontece em uma torre de uma casa antiga e muito misteriosa, cheia de encontros amorosos desastrosos, um cachorro clandestino, e uma tarefa escolar muito inusitada! Para saber mais do livro e da historia das Garotas da Rua Beacon leia o livro e divirta-se.

A historia é dividida em 3 livros: 1° - Piores Inimigas/Melhores amigas; 2° - Más Notícias/Boas Notícias; 3° - Cartas da Alma. Não conta muita coisa no primeiro livro, mas é o ponto inicial das Garotas da Rua Beacon, com segredos e brigas. Vale a pena ler e desvendar os segredos das GRB.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Você acha que tem controle sobre seu pé???

Aviso: se você conseguir fazer certo, você é que não é bem certo: OK?

VOCÊ ACHA QUE TEM CONTROLE SOBRE O SEU PÉ ???

Duvido!

Se não conseguir, pelo menos dará boas risadas...
Tire a prova você mesmo, para ver se você tem controle de seu pé direito.
Vale a pena tentar!
Quando você estiver sentado à sua mesa, faça círculos com o seu pé direito no sentido dos ponteiros de um relógio.
Enquanto estiver fazendo isso, desenhe no ar o número 6 com a sua mão direita.
O movimento do seu pé vai mudar de direção... Vai circular contrário aos ponteiros de um relógio...
Não adianta esforçar-se, é o mesmo local do cérebro que comanda as duas ações...
Conseguiu?
Duvido...

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

O crime mais cruel, por Makeli Maschen

Titulo - O crime mais cruel
Autor (a) - Miriam Mambrini
Edição - 1ª edição
Editora - Bom Texto


É a história de uma família de classe média alta, um homem casado pela segunda vez com uma antiga secretária de sua empresa. O casal tem um filho pequeno que em uma manhã seguindo sua rotina diária de ir para a escola, na porta de casa sob os cuidados da babá que deixou o pequeno na porta de casa e voltou para buscar a mochila esquecida, foi seqüestrado. A princípio todos desconfiam da babá do menino, por ela ser de uma favela vizinha à residência da família do seqüestrado e no passado ter se envolvido com um traficante perigoso, mas já morto. A babá conhecendo várias pessoas na favela comunicou-se com eles e ficou sabendo que naquele morro não estava o bebê que cuidava e que os envolvidos eram de outra favela. Ao pai da criança foi pedido um resgate com um valor altíssimo, o empresário estava pondo os carros e imóveis para venda, juntando todas suas economias para ter seu filho de volta o mais rápido possível. A mãe, estava constantemente muito mal, sentia a falta do filho, preparava para a volta do garoto a festa de aniversário com tudo o que o menino sempre sonhara. Com o decorrer da história os pais, os policiais e todos os envolvidos descobrem que a babá nada tinha a ver com o seqüestro e que o mandante do seqüestro foi um antigo caseiro da família que queria vingar-se por ter sido demitido. No final tudo da certo, o bebê é resgatado e não foi necessário pagar o resgate de um valor absurdo que estava sendo pedido.


Muito bom, com acontecimentos que realmente vem acontecendo cada vez mais na realidade de hoje em dia. É uma história bem contada, valeu a pena ler este livro, da vontade de ler cada vez mais e mais para saber o final, todo ele é muito interessante. Recomendo para quem quiser um romance policial dos bons.

A hora do amor, por Fernandes Dalanora

Nome do Autor (a): Fernandes Luiz Dallanora
Nome do Livro: A Hora Do Amor
Colégio: Estadual de Ipiranga do Sul
Estado: RS

Era uma vez um menino que se chamava Roberto Fernandes mais chamado de Beto e seu irmão chato chamado lelo, ele gostava de atirar com seu estilingue um dia ele estava treinando com seu estilingue quando na arvore de goiabeira tinha uma menina que s chamava Lucia Helena, Beto achava ela ruim, pois ela era a nova vizinha dele, mas quando Beto começou ir junto com ela no colégio viu que Lucia Helena não era ruim ao contrario se tornaram grande amigo. Uma vez Beto não tomava banho, não fazia os tema de casa, faltava nas aulas, bem agora diferente Beto toma banho, faz o tema de casa, e não falta mais as aulas só para ver Lucia Helena, eles começaram a fazerem o tema de casa de Lucia Helena, e ele gostava muito porque Beto via ela, naquele dia veio num menino que se chamava Mario Antonio e Beto ficou com ciúmes porque gostava de Lucia Helena. Então Lucia Helena acabou namorando com Maria e Beto ficou triste não tinha mais vontade de fazer nada não tomava mais banho não ia quase à escola as nata baixaram ficou sem fazer nada então ele se encontrou Lucia e Mario e começaram a discutir porque Beto chamou Lucia Helena de galinha, chegando em casa levou bronca do pai e do irmão lelo.
Então o seu irmão conseguiu uma balsa de estudo e foi para os Estados Unidos depois de um longo tempo lelo mandou noticias, e a mãe de Beto ficou doente não podia mais trabalhar, então Beto começou a ir aos bailes num deles arrumou confusão que chamaram até o delegado e o encontraram embaixo da mesa bêbedo, depois de muito tempo ele queria ir novamente aos bailes, mas ele não foi porque ele sabia que iria encontrar Lucia Helena e Mario Antonio juntos.
No outro dia Beto estava na aula alguém veio chamar ele porque sua mãe havia falecido, ele ficou muito triste pois não imaginava que isso iria acontecer tão logo. Seu pai não se em portava mais com ele estavam os 2 desanimado , até o professor Airton ia embora da cidade e convidou Beto para ir junto. Começou a sair com batata o amigo dele e fizeram bebedeiras que acabou indo pra cadeia e só foi solto por causa de seu pai, por ele ser uma pessoa boa. Com remorso começou a chorar e sue pai também prometeu nunca mais magoar se pai. Seu amigo Batata fugiu de casa e foi pra São Paulo.
Batata mandou uma carta pedindo para o Beto ir pra São Paulo com ele e seu Nestor iria arrumar um emprego pra ele, quando chegou a noite estava em casa sozinho e apareceu Lucia Helena queria falar com ele, mas Beto não deu muito conversa a ela, jogou a carta que tinha nas mãos no rosto de Beto e saiu chorando.
Beto foi se despedir dos amigos e da professora pedindo desculpas das maldades que havia feito seu pai o acompanhou até o trem se despediram e o trem partiu. De repente alguém bate no seu ombro e era Lucia Helena, levou um grande susto e se entenderam de vez. Os dois estavam muito felizes e muito mais Beto, pois nunca pensava que isso iria acontecer disse ela que a amava e se beijarão.
Critica do livro:
Eu achei um livro interessante muito bom de ler e recomendo ler este livro porque traz conhecimento sobre como é o amor, e também o amor não a tudo que pensa, tem que vencer os obstáculos para conquistar essa palavra que se chama amor.

Links sobre o furacão Irma

https://elpais.com/internacional/2017/09/10/actualidad/1505059822_453630.html?rel=lom https://elpais.com/elpais/2017/09/11/opinion/150514...