terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Dois textos para leitura e reflexão

1. Não é Comigo
Esta é uma estória sobre quatro pessoas: TODO MUNDO, ALGUÉM, QUALQUER UM e NINGUÉM.
Havia um importante trabalho a ser feito e TODO MUNDO tinha certeza que ALGUÉM ia fazê-lo. QUALQUER UM poderia tê-lo feito, mas NINGUÉM o fez. ALGUÉM zangou-se porque era um trabalho de TODO MUNDO. TODO MUNDO pensou que QUALQUER UM poderia fazê-lo, mas NINGUÉM imaginou que TODO MUNDO deixasse de fazê-lo. Ao final, TODO MUNDO culpou ALGUÉM quando NINGUÉM fez o que QUALQUER UM poderia ter feito.
Engraçado, não? Mas você já pensou onde está VOCÊ está nesta estória? Será que não fazemos parte das pessoas que nunca têm culpa de nada? Será que já não é hora de NINGUÉM ficar parado e QUALQUER UM começar a fazer qualquer coisa, e que ALGUÉM se ofereça para ajudar, porque TODO MUNDO é responsável pelo que acontece com NOSSO GRUPO?

2. A ASSEMBLÉIA

Certa vez houve, numa marcenaria, uma estranha assembléia, era uma reunião entre as ferramentas para discutirem sobre suas diferenças.
O martelo presidia a assembléia, mas foi pedido que renunciasse, motivo: era por demais bruto  fazia muita zoada. O martele decidiu então, que aceitava renunciar, desde que expulsassem também a chave-de-fenda, porque ela dava muitas voltas e não chegava a lugar nenhum.
A chave-de-fenda disse que sairia, desde que expulsassem a lixa, porque ela somente se esfregava e causava muito atrito.
A lixa, ouvindo aquilo, reclamou:
—   Eu saio desde que cassem também o metro, ele é todo meticuloso, medindo tudo e só queria ser o certinho.
Nesse exato momento entra o marceneiro na oficina e reúne todas as ferramentas e começa seu trabalho. Apanha uma madeira bruta e transforma no mais fino móvel e, algumas horas depois, o silêncio volta a reinar, então é reiniciada a assembléia, mas desta vez quem toma a palavra é o serrote e discursa:
          — Senhores, é sabido que todos nós temos defeitos, mas o marceneiro trabalha com nossas qualidades, veja que reunidos fomos capazes de produzir tão bela peça, portanto,  concentremo-nos em nossos pontos fortes, esqueçamos o nosso lado fraco.
         Foi então que se entendeu que o martelo era barulhento, mas firme e importante; que a chave-de-fenda unia e dava firmeza; que a lixa limava e retirava as asperezas e que o metro era certo e exato. Dali por diante trabalharam juntos e se sentiram mais felizes, produzindo as mais belas peças e móveis.
        Assim acontece com os seres humanos, quando procuramos somente ver os defeitos dos outros a situação e o relacionamento se tornam tensos e delicados, mas quando procuramos ver as qualidades e trabalhamos nisso, produzimos mais.
        Isso porque os defeitos dos outros é fácil ver, e qualquer um faz isso,não requer tanta habilidade, mas ver as qualidades é um pouco difícil, porque isso somente os inteligentes conseguem ver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Trabalhos dos alunos da Turma 21

Os alunos da turma 21 criaram documentários e páginas na internet sobre temas polêmicos. Não estou postando os vídeos porque não tenho, mas ...